Home

SOBRE O MPID
O MPID é o primeiro de um conjunto de programas destinados a tornar a FG um centro forte na pesquisa acadêmica, combinando elevado rigor científico e compromisso engajado com as demandas locais e regionais do mundo do trabalho.

A área de concentração, Inovação e Desenvolvimento, reflete o know-how que a FG tem desenvolvido ao longo da sua trajetória, a partir do Ensino (Graduação e Pós-Graduação Lato Sensu) e da Extensão e que mostra inequivocamente uma forte ligação com o mundo do trabalho. São diversas as parcerias e os serviços realizados por docentes e discentes, redundando em aprendizado para os alunos e qualidade de vida para a sociedade do entorno.

Garanta sua vaga para 2017.2 – Faça a PRÉ-INSCRIÇÃO.

 


ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO
A área de Inovação e Desenvolvimento desenvolverá conhecimento e formação para organizações privadas, públicas e de terceiro setor, particularmente as atuantes no Estado de Pernambuco e, em especial, na Região Metropolitana do Recife (R.M.R.), no contexto multidimensional da Gestão da Inovação com ênfase nos impactos sobre o Desenvolvimento Local.

 

A R.M.R. representa 43% da população estadual (apesar de ocupar apenas 2,81% da área do estado) e engloba praticamente 2/3 do PIB estadual (IBGE). Tendo em mente essa região focal, as preocupações de pesquisa envolverão as dimensões gerencial, econômica, ambiental, política, social, educacional, cultural e geográfica. Dentre os eixos a serem contemplados, incluem-se empreendedorismo, inovação, sustentabilidade, responsabilidade social e ambiental, diversidade e, finalmente, direitos humanos. Considerando ainda que, por vocação, a R.M.R. funciona como porta de entrada e saída de bens e serviços, não se perderá de vista a importância da inovação para o desenvolvimento local.

 

O desenvolvimento local necessita considerar processos e práticas de inovação tanto no desenvolvimento dos recursos humanos como no fomento de empresas locais. Profissionais criativos e empreendedores permitirão soluções mais adequadas nas empresas locais assim como a criação de novas empresas alinhadas com a questão da sustentabilidade. Assim, é importante analisar a criação de novos produtos/serviços e novos negócios sob a perspectiva mais ampla que aquela apresentada sob a ótica econômica. Torna-se necessário analisar os impactos dos mesmos também em termos ambientais, sociais e até mesmo culturais no caso dos investimentos em indústrias criativas. Em outras palavras, uma solução inovadora deve ser “ECONOMICAMENTE VIÁVEL, SOCIALMENTE JUSTA, AMBIENTALMENTE CORRETA E CULTURALMENTE ACEITÁVEL”.

 

Nessa nova perspectiva, o conceito de inovação vai além da utilização de processos e práticas de criação do produto/serviço ou processo produtivo pelos recursos humanos e pelas empresas locais. Isto seria apenas um lado do conceito de inovação. Esse resultado precisa de um modelo de negócios que preencha a demanda por novos produtos e soluções, os quais precisam ser validados quanto a sua SUSTENTABILIDADE nesse novo mercado.